ALGORITMOS SATÂNICOS

Atualizado: Fev 13

Trabalhando com analogias, um pouco de história antes.


Versos Satânicos


The Satanic Verses (Brasil: Versos Satânicos /Portugal: Os Versículos Satânicos) é uma obra literária do escritor britânico de origem indiana Salman Rushdie, editada em 1989.


O enredo desenvolve-se na Índia e na Inglaterra e o título refere-se a alguns versos do Corão, conhecidos por versículos Gharanigh. O livro conta as aventuras de dois indianos muçulmanos que sobreviveram a um atentado a bomba de separatistas sikh em um avião. Após a queda, na Inglaterra, um deles, Saladim Chamcha, desenvolve chifres, cascos e um rabo. O outro, Gibreel Farishta, cria um halo e sonha em conhecer o profeta Mahound (antigo termo pejorativo para Maomé).


Sai a religião entra a tecnologia


Tanto no Twitter, quanto no Google (e seus puxadinhos) e no Facebook (e seus puxadinhos), estes dois em menor grau, os algoritmos parecem ter preferência pelo mal. Focando nossa análise na pior das redes, em termos e propagação de perfis anônimos de sociopatas, psicopatas, olavistas, bolsonaristas e outros tipos de anômalos mentais e suas “obras”, vamos falar dos algoritmos “satânicos” do Twitter.


Twitter (inglês: [ˈtwɪtər]) é uma rede social e um servidor para microblogging, que permite aos usuários enviar e receber atualizações pessoais de outros contatos (em textos de até 280 caracteres, conhecidos como "tweets"), por meio do website do serviço, por SMS e por softwares específicos de gerenciamento.


O Twitter foi criado em março de 2006 por Jack Dorsey, Evan Williams, Biz Stone e Noah Glass e foi lançado em julho de 2006 nos EUA. A ideia inicial dos fundadores era que o Twitter fosse uma espécie de "SMS da internet" com a limitação de caracteres de uma mensagem de celular. Inicialmente chamada Twttr (sem vogais), o nome da rede social, em inglês, significa gorjear. A ideia é que o usuário da rede social está "piando" pela internet. Desde sua criação, o Twitter ganhou extensa notabilidade e popularidade por todo mundo. Algumas vezes é descrito como o "SMS da Internet". Jack Dorsey é o atual CEO da empresa.


As atualizações são exibidas no perfil de um usuário em tempo real e também enviadas a outros usuários seguidores que tenham assinado para recebê-las. As atualizações de um perfil ocorrem por meio do site do Twitter, por RSS, por SMS ou programa especializado para gerenciamento.


Fica claro que o sucesso do Twitter se deu pelo acaso, já que o WhatsApp fez, o que o Twitter pretendia fazer, muito melhor. Então o estranho Jack Dorsey transformou o seu Twitter no Cackle (Cacarejar), onde uma infinidade de galinhas que acabaram de botar ovos fazem muito barulho. Após botar o ovo, sua primeira providência é abrir o bico e anunciar o seu produto ao seu galo. É o que todas as “galinhas” do Twitter fazem continuamente após produzir seus tweets, que de fato são verdadeiros eggs.


Deste modo, o Twitter se tornou uma banca de jornais virtual que só comercializa tabloides. Fundamentalmente a rede vive só de baboseiras, futilidades, fofocas, mexericos, mentiras, fraudes, calúnias, ilações, difamações e factoides tudo com muita pós-verdade, conhecida por uma de suas maiores crias: as fake news.


Basicamente os algoritmos do Twitter criam galinheiros virtuais, chamados bolhas de filtro, onde galinhas da mesma espécie ficam agrupadas ao redor de seus galos (mitos), todas elas botando muitos ovos de pós-verdade e cacarejando muito, sempre loucas de amor pelos seus galos, o canto destas galinhas após botarem seus ovos se chama linha do tempo, tecnicamente conhecidas por câmeras de eco.


O Twitter é uma rede rasa, com conteúdo raso e usuários médios ainda mais rasos, tudo em 280 caracteres, adequado a compreensão de um QI médio, de quarenta para baixo, ou seja: a maioria dos usuários do Twitter.


Uma outra caraterística fundamental do Twitter é o anonimato. Com um número qualquer de celular ou um e-mail qualquer, em menos de um minuto você cria um usuário, e pode ser absolutamente anônimo. Isso ocorre justamente para que as pessoas liberem seus lados mais maléficos, por conta do anonimato e a impunidade garantidos, fazendo e dizendo tudo o que quiser com a certeza total de anonimato e impunidade.


Isso acaba atraindo todo o tipo de psicopatas, sociopatas e embusteiros anônimos para esta rede, a certeza do anonimato e da impunidade.


E há um acordo velado, entre o Twitter e seus anônimos, de que este garanta o anonimato e a impunidade deles, mesmo que na prática só promovam anarquia e crimes virtuais.


Basta ver a força com que o Twitter defende os seus anônimos criminosos na justiça, bem como seus crimes em qualquer parte do mundo, jogando sempre a responsabilidade para a sua matriz nos EUA (alegando que suas filiais nos países não fazem parte do Twitter), onde as redes sociais respondem sob a imunidade legal que as plataformas de tecnologia recebem de acordo com a quase centenária Seção 230 da Lei de Comunicações de 1934.


Saiba mais.


Se o Twitter quebrar este acordo informal com seus usuários anônimos a rede certamente irá desaparecer.


É por esta razão que mesmo mediante todo o tipo de denúncias, tanto os anônimos criminosos quanto suas postagens criminosas, permanecem ativos e publicadas, inclusive enfrentando as leis nacionais dos países até as últimas instâncias. Basta ver a resistência do Twitter mediante a CPMI das fake news e até perante ao Supremo Tribunal Federal brasileiro.


Se o Twitter quebrar seu pacto de confiança, selado com o diabo, na forma de anônimos criminosos, a rede acaba.


As atitudes de Jack Dorsey demonstram bem isso:


1) Em março de 2018, Dorsey anunciou que uma versão aprimorada do sistema de verificação chegaria ao Twitter. O propósito de redesenhar a verificação era permitir que as pessoas verificassem mais fatos sobre si mesmas, enfatizando a prova de identidade. A revisão não foi realizada antes das eleições de meio de mandato de 2018 nos EUA para ajudar a verificar as identidades dos candidatos.


2) Em 2020 Dorsey se encontrou em particular com o presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca e discutiu as preocupações de Trump de que o Twitter havia limitado ou removido alguns de seus seguidores no Twitter e os dos conservadores. Após a reunião, Dorsey tweetou que a discussão incluía tornar o Twitter "mais saudável e civilizado".


Basicamente as subsidiárias e os CEO do Twitter, em todo o mundo, não passam de “laranjas”, segundo a argumentação legal do próprio Twitter à CPMI das Fake News. Neste ponto, pelo resultado das minhas tentativas de contato com a atual CEO do Twitter Brasil, tenho que concordar integralmente.


Assim, o segredo do negócio do Twitter é basicamente a mediocridade da grande maioria de seus usuários, que é alavancada pelos algoritmos, levando a criação de influenciadores medíocres para seguidores ainda mais medíocres.


O problema é que dentro da mediocridade, inofensiva e inútil, encontram-se também psicopatas, sociopatas, bolsonaristas e olavistas, em se falando apenas de Brasil. Perfis anônimos absolutamente criminosos, essencialmente ilegais no Brasil só pelo fato de serem anônimos. E eles são muito estimados pelos algoritmos e assessorias jurídicas do Twitter.


Também encontramos perfis verdadeiros dentro do Twitter, com comportamentos sociopatas e psicopatas, como por exemplo os próprios Donald Trump e Jair Bolsonaro. O segundo, em se tratando de Brasil, seguido e apoiado por uma legião de pessoas reais que são medíocres e / ou de éticas bastante questionáveis, em seus históricos pessoais fora e dentro da rede.


É claro que existem também as versões “politicamente corretas” destes perfis anônimos criminosos no Twitter, conhecidos no Brasil por “lulopetistas”, mas estes estão no momento “acanhados” devido ao histórico recente dos “malfeitos” do lulopetismo.


O Twitter e seus algoritmos basicamente são concebidos para lucrar sobre o pior da natureza humana. São os algoritmos satânicos.

COPIAR E DIVULGAR CONTEÚDOS DESTE SITE SEM AUTORIZAÇÃO É CRIME DE VIOLAÇÃO DE DIREITOS AUTORAIS PREVISTO NO ART. 184 DO CÓDIGO PENAL!

Abba.png